V O O L T 3 D
  • Av. Santos Dumont, 758 - Silveira, Santo André - SP
  • 11 93708-3025
  • contato@voolt3d.com.br

Avaliação Detalhada da Creality Ender 3 S1: A Evolução da Série Ender 3

Para uma empresa que mantém uma impressionante oferta de 21 impressoras, sim! você leu corretamente, 21 impressoras de extrusão de filamentos 3D, compartilhando em grande parte os mesmos componentes e, muitas vezes, deixando a desejar em 8 a cada 10 ocasiões, a Creality continua a surpreender.

Um exemplo notável é a recém-lançada Ender 3 S1. Integrando-se a uma linha já robusta de impressoras 3D, composta por quatro modelos principais (excluindo a variante silenciosa da Ender 3, a CR-6 SE), esta série tem se destacado como líder em impressoras 3D para uso pessoal em todo o mundo. Mesmo diante dessa proeminência, a Creality consegue injetar uma sensação revigorante com o lançamento da Ender 3 S1. Este novo modelo traz melhorias significativas em comparação com a nossa favorita, a Ender 3 V2, e justifica um aumento de preço de aproximadamente USD $120, introduzindo a extrusora Sprite, fabricada pela própria Creality, entre outros recursos inovadores. Essas adições oferecem aos usuários uma forte razão para considerar um upgrade.

Se a CR-6 SE introduziu o conceito de uma Ender 3 aprimorada e “deluxe”, a Ender 3 S1 é a personificação tangível desse conceito. Mantendo o mesmo estilo geral e conjunto de características, ela se destaca por mudanças práticas e melhorias verdadeiramente transformadoras.

Após semanas dedicadas aos testes da Ender 3 S1, compartilhamos aqui nossas descobertas.

CREALITY ENDER 3 S1: CARACTERÍSTICAS E RECURSOS

Veredito

PRÓS

  • Nova extrusora direta, que é extraordinária
  • Resultados de impressão de alta qualidade constante e sem esforço
  • A mesa de impressão de aço com revestimento de PC funciona exatamente como o esperado

CONTRAS

  • Sem trilhos de guia para a mesa magnética
  • Instruções muito pouco ilustradas
  • Já não é tão barata

  • A Ender 3 S1 destaca-se como uma máquina de uso intuitivo, apresentando especificações robustas e confiabilidade, proporcionando uma qualidade de impressão excepcional de maneira consistente e com mínimo esforço por parte do usuário.
  • Equipada com uma extrusora direta de dupla engrenagem e uma sonda de nivelamento automático de mesa, esta impressora facilita a alimentação do filamento e a obtenção de camadas iniciais precisas. A adição de um segundo motor para acionar o eixo Z contribui para a estabilidade, equilibrando o novo peso adicionado ao eixo X. A mesa de impressão, robusta e com boa aderência, permite a liberação fácil das impressões por meio de flexão, sem comprometer a integridade das camadas durante o processo de impressão.
  • Os detalhes adicionais também demonstram praticidade. A inclusão de um slot para cartão SD para impressão offline supera consideravelmente a utilização de microSD, enquanto as portas dedicadas para módulos externos sinalizam a capacidade de expansão da impressora sem a necessidade de abertura e modificação.
  • A qualidade de impressão mantém a excelência característica das anteriores máquinas Ender 3.
  • Apesar da eficácia da Ender 3 como uma impressora descomplicada e funcional, vale mencionar que as instruções de montagem deixam a desejar. Esperamos que uma versão revisada, com aprimoramentos visuais, seja disponibilizada em breve.

  • CREALITY ENDER 3 S1: CARACTERÍSTICAS E RECURSOS
  • A tecnologia
  • Há muitas características na Ender 3 S1 que não havíamos visto nos modelos enteriores da Ender 3. Apesar de ter o mesmo formato, espaço de construção (ou quase, pois conta com mais 2 cm no eixo Z) e capacidades de impressão (hotend de até 260 ºC e mesa de até 100 ºC), a nova máquina incorpora agora uma extusora direta, montada diretamente sobre a cabeça de impressão. Além disso, trata-se de uma extrusora dual, com uma engrenagem que permite uma alimentação de filamento mais firme. Isso sem mencionar a mesa de impressão flexível e removível, o nivelamento automático e o eixo Z acionado por um motor duplo para uma maior estabilidade e nivelação na impressão.
  • Isso sinaliza, em muitas medidas, um significativo avanço em relação à Ender 3 V2. De certa forma podemos compará-la com a CR-6 SE, a impressora da Creality lançada no Kickstarter que se desmarcou da tendência de máquinas baratas e supôs uma mudança de rumo em relação à Ender 3, com um nivelamento de mesa baseado em células de carga, uma extrusora personalizada e outros detalhes. Tal como afirmamos na introdução, a CR-6 abriu o caminho, mas a Ender 3 S1 é a impressora 3D que você realmente deveria querer.
  • Seria um descuido da nossa parte descrever a S1 sem enfatizar a sua nova extrusora. A Sprite, tal como foi nomeada pela Creality, é a nova extrusora da marca, que estará presente em pelo menos três de suas novas máquinas — a S1, além da próxima Ender 3 S1 Pro e a CR-10 Smart Pro, todas com temperaturas mais elevadas para materiais mais técnicos. A Sprite vem como uma unidade completa e, vendida separadamente, está disponível como um upgrade independente para máquinas Ender 3 mais antigas.
  • Podendo aquecer até a 260 ºC, a Sprite é adequada para PLA, ABS, PETG, TPU e outros filamentos similares de fácil manejo por parte de consumidores finais. O hotend parece representar o bloco aquecedor, o núcleo e os bicos padrão da Creality. A diferença principal está no dissipador de calor, que se estende para cima e se integra na placa de montagem da extrusora. Uma ventoinha de refigeração sopra através do dissipador de calor — o fato de não ter havido problemas de obstrução durante o tempo em que a estivemos testando indica que esse sistema funciona como o esperado.
  • Tal como dissemos anteriormente, a S1 é a primeira Ender 3 a apresentar uma extrusora direta — o “cold end” da extrusora é instalado diretamente sobre o hotend da cabeça de impressão. Isso traz como benefício a redução da distância que o filamento precisa percorrer entre o ponto em que se exerce controle sobre ele e o ponto onde é derretido. Parece complicado, mas isso basicamente significa que há menos espaço para que o filamento se dobre ou surjam diferenças entre a quantidade de filamento que é de fato derretida e extrudida e a quantidade que a impressora recebeu instruções de fundir. Também tem a vantagem de ser muito, muito mais fácil de carregar o filamento na máquina.
  • No entanto, esta funcionalidade adicional situada na cabeça de impressão tem como contrapartida o aumento do peso, com o motor de passo panqueca e a engrenagem agora se movimentando por todo o eixo X. A Creality contudo enfatiza bastante a leveza da Sprite, afirmando que ela só pesa 210g. Isso, em contraste com a cabeça de impressão da Ender 3 V2, cujo peso calculamos a grosso modo em aproximadamente 150g, demonstra que a Sprite é de fato uma conquista da Creality. Apesar de o peso extra ser de aproximadamente 60g, a inclusão de um segundo motor de passo na estrutura do eixo X, de cima abaixo, ao longo do eixo Z, é um movimento inteligente para tirar máxima vantagem da engrenagem de impressão da S1.
  • A placa-mãe da S1 leva um nome pouco esclarecedor de CR-FDM-v2.4.S1_v301. A Creality não foi muito transparente acerca das novidades dessa nova placa. Analisando o seu nome, podemos assumir que se trata de uma variante das placas 2.4.x de 32 bits da empresa (A Ender 3 V2 utiliza a 4.2.2). E, tal como todas as outras placas-mãe atuais da marca, esta incorpora drivers silenciosos para os motores de passo. Mais uma vez, não é claro de que drivers se trata (pedimos esclarecimentos à Creality, mas não tivemos resposta). Como eles se encontram enterrados por baixo dos dissipadores de calor e da pasta térmica, não nos aventuramos a retirá-los. Historicamente, as máquinas “silenciosas” da Creality utilizaram drivers TMC2208, TMC2209 ou TMC2225 e, por isso, assumimos que a S1 conte com um deles ou com uma combinação de todos. Os drivers tipicamente não estão configurados para um controle mais avançado baseado em firmware, tal como o avanço linear (sem uma cuidadosa manipulação com um soldador), por isso nós ficaríamos surpreendidos se isso fosse diferente no caso da S1.
  • Uma melhoria muito conhecida nos modelos anteriores da Ender 3 é o “duplo eixo Z”, que se consegue adicionando um segundo fuso trapezoidal acionado através de uma corrente ligada ao primeiro ou ligada diretamente a um motor de passo dedicado. A S1 desafia essa tradição adicionando um segundo fuso trapezoidal ao eixo Z, assim como um e uma correia na parte superior para manter o movimento alinhado e sincronizado. Trata-se de um recurso não apenas há muito aguardado, mas também altamente necessário, uma vez que a S1 conta com um eixo Z ainda mais alto e também com uma extrusora direta.
  • Nestes tempos, a nivelação automática de mesa deveria ser uma função a surgir na maioria das novas impressoras 3D. Na Ender 3 S1 é o caso. A sonda CR-Touch incoporada realiza provas em 16 pontos na mesa de impressão como parte de sua rotina de nivelamento automático, ajudando a S1 a compensar as irregularidades de sua superfície para criar uma primeira camada realmente perfeita.
  • A rotina de nivelamento automático de mesa é algo que você precisa acionar manualmente através do menu da impressora e, para alterações realmente drásticas de nível, a S1 também conta com alavancas nos quatro cantos da sua estrutura. Na prática, nós simplesmente deixamos o nivelamento automático fazer o seu trabalho e ajustamos levemente a compensação do eixo Z através da interface de usuário. Nenhum ajuste adicional foi necessário; foi uma experiência agradavelmente simples, como deve ser. Todas as impressoras deveriam ter um recurso de nivelamento automático de mesa, na opinião deste redator. Nivelar a impressora 3D manualmente é algo medieval a esta altura do campeonato.
  • Por trás de toda a magia do nivelamento de mesa, você ainda vai ter uma nova superfície de impressão para se divertir. Enquanto a Ender 3 V2 faz uso de uma mesa de impressão em vidro carborundo, a nova S1 utiliza uma resistente mesa de aço revestida de PC que se fixa magneticamente à plataforma. Ela pode ser retirada quando as impressões estão concluídas e flexionada de forma a ajudar as peças a se desgrudarem da superfície.
  • Esta mesa de impressão é muito mais resistente que a folha de estilo C-Mag da Ender 3 Pro. Essa nova lâmina está mais a par com a da popular Anycubic Vyper ou Original Prusa i3 MK3S+ do que os fracotes ímanes de geladeira que algumas impressoras utilizam. Pode é ser um tanto complicado alinhar a placa perfeitamente quando você volta a colocá-la de volta para a próxima impressão.
  • Há um nível de organização na parte frontal da impressora que os usuários mais ocupados irão agradecer. Em primeiro lugar, temos uma interface de usuário muito simples, de 4,3 polegadas, controlada através de um botão giratório de fácil navegação e controle. Não é muito diferente da que se pode encontrar na Ender 3 V2, contudo, por isso nos surpreende que isso se apresente como uma “completa novidade”.
  • A interface de usuário se atenua após 5 minutos de inatividade como um esforço para “proteger o meio ambiente”, segundo a Creality. Não é a primeira coisa em que pensamos quando temos em conta as práticas de desperdício na impressão 3D, mas qualquer pequeno ato ajuda, supomos.
  • Felizmente, você também vai encontrar um slot para cartões SD de tamanho normal na parte frontal da S1. E ainda bem, porque os cartões microSD são das coisas mais chatas em toda a impressão 3D, graças à sua mania de desaparecer do nada. O mesmo vale para a conexão do tipo USB-c, que é útil se você quiser ligar a máquina ao seu computador. Trata-se de um detalhe pequeno, mas muito contemporâneo se pensarmos na espécie em extinção que são os cabos de dados USB Micro-A e Micro-B.
V3d

Leave a Comment